No Amazonas: Sinais de Deus e da Vida

[Voltar]

“...Tudo isso indica que vamos rumo a um novo estilo de vocação religiosa, mais reduzida e minoritária, mais mística e profética, mais pobre, com uma maior relação com os leigos e com outras congregações (inter-congregacionalidade), com vocações mais maduras e adultas e não tão jovens, abrindo-se a novas formas de comunidade e de compromissos, com mais fermento do que cimento, e de forma mais significativa, mais carismática e livre, que repense seus trabalhos e ministérios (por exemplo, revisar a paroquialização da vocação religiosa masculina clerical!), mais semelhante às suas origens, que vivam uma aventura evangélica e uma insegurança de nômades, sempre abertos ao sopro do Espírito.(em entrevista de Victor Codina,sj ,concedida a IHU)”

 

Irmãs e Irmãos,

 

Neste mês vocacional chegamos mais uma vez dando notícias de nossa missão que, como todo caminho e processo, passa por momentos delicados , de escuta e reflexão. Neste mês propício para retomarmos nossa primeira vocação que é a batismal, alicerce da nossa, ( Desculpem o caráter pessoal deste relatório, mas foi a experiência vivida por Joaninha nestes últimos e longos dias após a doença de Edith.) Quando se está geograficamente longe do grupo, a sintonia se faz mais necessária. Joaninha narra sua experiência rica desses dias em que passou sem a companheira de missão e ao mesmo tempo sente-se acompanhada e povoada de presenças invisíveis e palpáveis ao mesmo tempo.
 Como VRC somos mui comunitárias entendo que passar por esses momentos de solidão e de espera a pessoa sente-se sensível, mais atenta aos sinais de Deus e da vida. Diz ela; não desejo a ninguém ficar só em uma missão distante como nesta de fronteira, mas se um dia isso acontecer viva-o com muita intensidade e sentirá como Deus realmente se revela um Deus esposo que se manifesta de muitas maneiras para dizer, “não tenhas medo estou contigo”. Tem seu lado positivo também, se cria um ritmo próprio, aproveitei para comer e fazer o que mais gosto uma vez que no comunitário muitas vezes se sacrifica até aquilo que mais amamos em vista do comum e da outra...Mas, a fronteira tem dessas coisas, há momento que por circunstancias precisamos assumir na coragem os desafios que se nos apresentam, ficar sozinha pode ser um deles entre outros. Sou grata à Província pela confiança em mim depositada, sei que muitas estiveram comigo e nestas horas a pertença e sentido de corpo falam muito alto. Não me arrependo de nada e não tive medo de nada a não ser da violência que ronda nossa Manaus como em todas as capitais mas Deus cuida de nós.
Dia 31 deste , participei da Missa em honra de Santo Inácio na Cúria dos Jesuítas de Manaus. Na Igreja de Nossa Senhora de Perpetuo Socorro. Um ambiente familiar, simples, próprio da família Inaciana. Momento profundo de se colocar nas mãos de Deus pela oração de Santo Inácio conhecida por  muitos/ as “tomai Senhor...”Após a missa todos fomos convidados para compartilhar de um delicioso bolo.
Nossa Missão no Amazonas passa por este momento de espera, por aquelas que viriam e não puderam vir, tomaram outros caminhos, adoeceram no percurso, ficaram doentes in loco.
 Mas, ao retornar no dia 22 de julho após um mês fora, o Povo estava sedento de noticias. Na celebração  Pe Marquinho pediu-me que dissesse uma palavra à comunidade assim como as notícias de Edith.  Impressionante como as pessoas têm um carinho para conosco.  Emocionei-me ao dar-lhes retorno da caminhada feita e da gratidão que sentimos por toda oração feita nas intenções de Edith. Um obrigada foi pouco por tanta fraternidade. O  povo realmente se torna nossa família na missão

Mas, como a vida é dinâmica, e a missão também, entramos em Agosto muito motivados. Nossa festa da padroeira bate às portas. Nossa senhora Mãe dos Pobres cuja festa celebramos  neste mês de agosto, mais precisamente  no dia 12 de agosto, foi muito festejada; o novenário foi um momento de muita espiritualidade ligada à vida cotidiana sociopolítica de nossa gente com fatos da vida que traziam à tona o dia a dia. O momento de ofertar as flores sempre carregado de aplausos à mãe querida. A data litúrgica parece ser em janeiro, mas como competiria com são Sebastião, um santo muito  honrado  aqui  e cuja  linda devoção foi trazida pela Irmã Gabriele,   foi colocada pela paróquia nesta data. Estamos pesquisando por que ela é padroeira de nossos  arraiais típicos desta região  com comidas gostosas, danças longas, assim como  músicas características que repetem os refrões ritmados. Bingos e jogos fizeram a animação das quatro noites de arraiais. Havia muita gente. Assim todas as noites tinha  pessoas por perto, uma vez que a casa onde  estamos  fica atrás da Igreja paroquial. Vários dias do novenário foram coordenados por nós, e um pelo Diácono que ajudou o pe. Marquinhos cuja agenda estava superlotada. Assim pudemos também, do nosso jeito, demonstrar nossa gratidão criativa à Mãe dos Pobres, nossa mãe e padroeira. Muitas pessoas acompanharam todas as nove  noites. 

Dia cinco participamos da celebração de Ordenação presbiteral de Cairo, nosso Diácono, que fez seu estágio em nossa paróquia. Dom Luiz, como sempre, orienta seu rebanho. Disse ao neo sacerdote “ seja apaixonado por Deus, e pelo seu Reino. Ame muito a Igreja , sirva  bem o povo de Deus e não perca o rosto  Regional” ( Cairo é filho da Amazônia). Foram momentos de muita emoção. Entre choros e cantos, o Espírito ungiu mais um  presbítero para ser sinal  e servo nestas  grandes margens de missão.
A celebração de encerramento com procissão contou com a presença amiga e simpática de nosso Bispo Auxiliar Dom Mário Antônio que sempre chega com muito entusiasmo nas comunidades mais longínquas (é o bispo do interior). Como foi Dom Sebastião em sua homilia inspirada no peixe puraquê que quando sente fome dá descargas elétricas na árvore frutífera e esta deixa cair os frutos, assim  nós,  devotos de Maria, devemos ir a ela, árvore  frutífera   e receber os frutos abundantes que ela  produz". Também fez memória da presença de Edith pedindo pela sua saúde.
Com Dom Mário, vieram duas Irmãs filhas da caridade, conhecer e celebrar conosco. Após a celebração tivemos um momento de partilha e comensalidade na companhia de Pe Cairo e Dom Mário.
Aguardam com carinho a chegada de Rosângela que cada tempo  foi adiada por questões diversas agora anunciada para dia 14 próximo. Na expectativa desta chegada  tão esperada deixo a cada uma um abraço e muita comunhão neste Mês vocacional por excelência e nesta missão que  une a todas. Na fronteira do construir novas pontes.
Carinhosamente,
Comunidade Maria Mãe dos Pobres.


Agosto de 2012

Da missão no Amazonas: Brasil missionario, partilha tua fé

“Brasil Missionário Partilha Tua Fé”


Queridas Irmãs e queridos Irmãos da  e na Missão.


Novamente  retomamos nosso    relatório, que tem  por objetivo estreitar os laços que nos unem e nos fortalece nesta fronteira abençoada por Deus e querida por Emilie.

Nossos encontros missionários seguiram seu curso, com a visita da Equipe Provincial ocorrido nos dias 23 a 26/09.Tempo  curto, porém muito intenso ao qual Deus recompensará cada uma pelo sinal deixado e levado nos corações nosso e do povo ao qual servimos .

Celebramos no dia(23) o aniversário de nosso Pároco Pe. Marco Antônio com a Eucaristia. Seguida de um delicioso café da manhã partilhado pelos paroquianos e comunidades mais próximas. Desejamos felicidades a este nosso Irmão  extremamente dedicado ao seu rebanho, que Deus o fortaleça em sua saúde

“No peito eu levo Um Cruz no meu Coração o que disse Jesus”. Como todas as Dioceses do Brasil, a nossa Arquidiocese também recebeu a Cruz  Peregrina. A chegada dos símbolos da JMJ em Manaus foi um acontecimento que marcou a vida das comunidades e principalmente da juventude desta Arquidiocese. Estivemos presente com os jovens e os padres da paróquia N. Sra. Mãe dos Pobres na acolhida da Cruz e do ícone de N. Sra. do Perpétuo Socorro que aconteceu no Encontro das Águas (Rio Negro e Solimões) na tarde do dia 20 de setembro.  Das águas do Amazonas chegaram, em canoas, a Palavra de Deus, frutas e peixes como oferendas da região. O evento também foi marcado por um mergulho simbólico da Cruz  e as palavras de Dom Luiz Soares Vieira (Arcebispo de Manaus) motivando a todos: “Que façamos destes dias encontros de bênçãos e de renovação para nossa caminhada de Igreja”. Este foi o início dos quatro dias de uma programação intensa de peregrinação  por diversas Paróquias, Escolas, Hospitais, Ginásios... com momentos fortes de vigílias, caminhadas, palestras, conferências, celebrações e apresentações culturais.  O “Bote Fé” aconteceu no Sambódromo  com a presença de mais de dez mil jovens que Sob o hino: “No peito eu levo uma Cruz, no meu coração o que disse Jesus”, renovaram o compromisso de serem jovens evangelizando jovens. 

Concluindo o Mês da Bíblia, coordenamos a Primeira Gincana Bíblica na paróquia, a luz do Evangelho de Marcos. Foram muito ricas as atividades ocorridas entre círculos bíblicos semana bíblica e gincana, acreditamos  que todos puderam encontrar e a dar resposta à pergunta de Marcos:  “Quem é Jesus?”

Roga por Nós Emilie! Dia três de outubro pudemos  celebrar em Nossa Paróquia a Bem aventurada Emile, Preparamos uma bonita celebração e todos os presentes puderam saber mais sobre Emilie, nosso Carisma e nossa Congregação. Que junto de Deus Ela possa olhar com carinho nossa gente.

Neste mês de outubro, fomos convidados a  retomar nosso compromisso missionário  com  as centenas de brasileiros que estão fora do Brasil em missão.

(África.575; América,723; Europa,493; Ásia,97e; Oceania,12). As novenas missionárias reúnem os grupos  e as comunidades na tentativa de  alimentar a fé no seguimento de Jesus como discípulos missionários. Debaixo de mangueiras, nas varandas e terreiros são espaços onde a comunhão missionária acontece.

Nossa ida ás comunidades do beiradão  do Rio Amazonas a cada sábado fica mais difícil o acesso à  beira onde  embarcamos. A seca está cada dia mais acentuada barrancos para subir cada sábado parece crescer. Percebemos  descendo o rio como as comunidades ribeirinhas precisam sempre se adaptar. Ora,  com a cheia que chega e toma conta de tudo, casa, plantação etc  ora é a seca que faz tudo ficar longe e  de difícil acesso. Somente quem vê pode ter noção onde  era água e hoje  terra ,pedra e morro, São fenômenos naturais (ou näo) cuja convivência faz parte do viver ribeirinho. Sem contar  que nesta época o preço do alimento sobe muito, o Kg de quiabo 12 reais,  só pra se ter uma idéia.

Ainda  vibra em nossa memória o encontro de Província  que tivemos  no feriado da Mãe Aparecida. Momento único de reabastecer as baterias Azuis para  continuar nas fronteiras, apesar dos desafios da mesma. Celebramos as bodas de dez entre nós. Testemunhas de fidelidade ao Senhor e desejo de seguir andando e cruzando fronteiras. Foi realmente muito bom este momento de Capitulo provincial, onde juntas buscamos novas luzes, sem deixar de sentir  as sombras que  nos acompanham ao longo do caminho.

Um grito que clama em nosso mundo hoje é o tráfico de pessoas com suas rotas visíveis e camufladas, Manaus não fica pra trás. O 1º Seminário sobre o tráfico de pessoas  foi expressivo. A PESTRAF (Pesquisa sobre o Tráfico de Pessoas para Fins de Exploração Sexual) mapeou 241 rotas de tráfico interno e internacional sendo que a região norte possui o maior índice com 76 rotas. Frente a esta desafiante realidade que configura uma forma moderna de escravidão e violação dos direitos humanos, a CRB Manaus e a Ong  “Um Grito pela Vida” organizaram o Primeiro Seminário de Tráfico Humano na sede da Universidade Estadual do Amazonas no dia 20 de outubro. O evento teve como objetivo principal convocar a VRC, Igrejas,  Sociedade Civil Organizada, Poder Público  e Universidades a assumirem o compromisso de atuar efetivamente na erradicação  deste crime e intensificar a luta por políticas públicas para a juventude e mulheres em situação de risco. Na ocasião houve  cerimônia de lançamento do livro: “Tráfico de Mulheres na Amazônia” pelas autoras e assessoras Iraildes Caldas Torres e Márcia Maria de Oliveira.

Uma  nova presença que estamos tendo cada sexta feira pela manhã é junto a  terceira Idade. Grupo  recém começado pelos agentes de saúde, pouco a pouco nos integramos  com as pessoas e é incrível como além de caminhar junto e lentamente, seu anseio é contar suas histórias suas dores e aventuras.

Quando  não  podem  ir por alguma razão sobretudo aos passeios a que realizam em outros momentos ao nos encontrar  nos  questionam porque não fomos? São muito acolhedores e fraternos. É um grupo  inter-religioso, Os Irmãos Evangélicos aproveitam após a caminhada para dar sua palavra nós não ficamos para trás. A caminhada sempre culmina com um café, ás vezes na casa de um ou no próprio posto de saúde seguido de uma palestra ou Consulta de acordo com planejamento da equipe técnica.

 O Hino do Padre Zezinho , se tornou o hino oficial do grupo “Vivendo a Vida” .No  dia 22/11, irão se apresentar no Studio Cinco de Manaus e já nos convocaram porque  no primeiro  encontro  que tiveram ficaram  em terceiro lugar e  no próximo querem o primeiro lugar e contam conosco para  ajudar cantar A Equipe de agentes é boa e atenciosa. Alguns moram aqui na vila e já sabemos onde moram.

Encerrando este Relatório neste mês  missionário por excelência, Rogamos ao Senhor da Messe que envie mais operários para messe. E os que se encontram nas  fronteiras simbólicas ou geográficas continuam sendo sinais do Reino que Jesus veio anunciar.

Que os Prefeitos/as , Vereadores/as  eleitos /as possam ser para o povo presença significativa, frente a tantos escândalos e punições políticas em nosso País.Acreditemos  que Um outro  Brasil é possível.

Terminamos o Mês de outubro ainda celebrando com muita alegria o aniversário de Padre Cairo Gama, o mais novo sacerdote em nossa Paróquia. Sua simplicidade e seu testemunho de vida que a todas comoveu.

Suas Irmãs da Comunidade Maria Mãe dos Pobres.

Rosangela Silvia e Joaninha 

Ver fotos>