História: Congregação Nossa Senhora da Imaculada Conceição de Castres


[Voltar]

Equipe História em Roma

"Honrar o passado por um presente mais digno da herança que recebemos  e que devemos transmitir em vista de um futuro mais fecundo”. (Mère Germaine Sapène)



Congregação de origem francesa, fundada em Castres, sul da França em 8 de dezembro de 1836 por Emilie de Villeneuve. A congregação atualmente conta com 585 membros distribuídos em 120 comunidades, localizadas em 15 países. Em 2011, duas novas fundações: uma em Haiti, outra em Burkina Fasso.

 

 

A Fundadora: Jeanne Emilie de Villeneuve

Emilie, nasceu em Toulouse, França a 9 de março de 1811 e faleceu em Castres a 2 de outubro de 1854, vítima da epidemia do cólera.

 

Desde a mais tenra idade viveu no castelo de Hauterive, próximo de Castres. Quando jovem sentia uma atração irresistível para colocar sua vida a serviço dos mais pobres desejando ser irmã de Caridade. No entanto, seus diretores espirituais, percebendo ser uma pessoa com um carisma especial, orientaram para fundar a Congregação. Com mais duas Irmãs empreende uma pequena obra educativa acolhendo, com um coração materno, adolescentes e jovens da classe operária francesa.

Quem somos? Onde estamos? Irmãs - Irmãos - Leigos

A Congregação, com alegrias e desafios vê crescer o número de suas irmãs e sua expansão se estende, fora da França. Em 1848 Emilie envia as primeiras missionárias no Senegal, Gâmbia e Gabão.

 

Muitos anos mais tarde, em 1903, as irmãs são obrigadas a expatriar-se da França e se dirigem à Espanha. Em seguida, 1904 vão à América Latina e mais recentemente (1998) marcam presença na Ásia.

 

João Paulo II reconheceu a heroicidade das virtudes da Fundadora Emilie de Villeneuve, em 1991. E em 1995, um milagre da cura de uma jovem de nome Binta, da Serra Leoa, atribuído à intercessão da serva de Deus possibilitou a sua beatificação, em Castres no dia 5 de julho de 2009.

 

Congregação de Direito Pontifício, tem como principal eixo de sua Espiritualidade a Centralidade em Deus e nos pobres. Maria Imaculada também é um referencial inspirador de mulher que viveu plenamente o discipulado de Jesus.

 

Vida em comum, Espiritualidade e Missão são três aspectos importantes que caracterizam as irmãs Azuis, como assim são conhecidas.

 

As Irmãs, além dos votos de Pobreza, Castidade e Obediência, assumem um quarto voto que é de dedicar-se totalmente à causa das pessoas, sobretudo às mais necessitadas. O apelo de Emilie de Villeneuve que nos convoca a “ir sem hesitar lá onde a voz dos pobres nos chamam” é um imperativo para cada Irmã Azul.

 

 

 

Em 2004, um novo ramo masculino da Congregação inicia-se, no bairro de Reduto, na periferia de Assunção, com três jovens de nacionalidades distintas: Andrés Chazarreta (Argentino) Ramón Gómez (Paraguaio), Frederico Basaldúa (Mexicano). A missão dos Irmãos Azuis, partilhada com os leigos, consiste na atuação pastoral: catequese, infância missionária, juventude, celebrações e formação de liderança. E também numa atuação social de cuidado da vida com a saúde alternativa e projetos de geração de renda com mulheres do bairro.

 

 

Dados da Congregação:

Nome: Congregação das irmãs de Nossa Senhora da Imaculada Conceição de Castres.

Apelido: Irmãs Azuis

Data de Fundação: 8 de dezembro de 1836, em Castres, França

Sede Geral: Via Vincenzo Viara de Ricci, 24

00168 – Roma – Itália

Fone: 06.30.518.63

Site: www.cicressources.net

Superiora Geral: Nuria Blasco Bayó (nuriabayo@cic-castres.org)

Com horizonte do Reino e coração de discípulos(as)...


A comunidade azul no Uruguay, vem construindo através de muitos anos, uma rede de fortes laços na fraternidade, no trabalho e no caminho partilhado através dos horizontes da comunidade de Emilie. Assim nasceu a rede "Azuis no Uruguai"


Acompanhando nossos passos com a opção da Província da Argentina e Uruguai, vamos criando espaços onde podemos "VER" os brotos de um novo entusiasmo na maneira de viver a missão, o discipulado e a espiritualidade, com os diferentes traços distintivos das culturas dos nossos povos.


Há muito tempo, decidimos utilizar este tema nos nossos encontros:
"Com horizonte do Reino e coração de discípulos(as)”.

 

Veja mais

Azuis no Uruguai